Diego J Cardoso

Início » Depoimentos

Arquivo da categoria: Depoimentos

Os caminhos da arte de Diego J.Cardoso

Os caminhos da arte de Diego J.Cardoso

 

 

 

Alagoinhas – BA, 15 de julho de 2017
Ano XVIII Nº 416
FALE CONOSCO: Redação: 75 3421.2183 | 75 9971.5405
E-mail: gazetadosmunicipios@uol.com.br
http://www.gazetadosmunicipios.com.br

Ed Carlos
Os caminhos da arte de Diego J. Cardoso

A pintura de Diego J.
Cardoso apresenta-
-se impregnada de
uma carga simbólica
e emocional. Pode-
-se antever múltiplas
interpretações acerca
de seu fazer poético e
plástico, há um teor
metafisico e um sentimento
de solidão,
uma dor surda em sua
obra, apesar do calor
dos seus tons vivos e
vibrantes ao olhar.
A arte de Diego J.
Cardoso reflete aspectos
da sociedade contemporânea:
solidão,
dúvida, tristeza, força,
isolamento, buscando
observa o equilibro dos
eventos.
Diego busca descobrir
os enigmas das
coisas, ele transpõe
significados, como se
num registro autobiográfico,
sua pintura é
evocativa de estados
de espírito: pessimismo,
nostalgia, solidão,
otimismo.
Há aproximações
entre suas realidades
interiores e exteriores,
são vários aspectos que
marcam o escopo criativo
do pintor, que reinventa,
recria os recursos da
pintura com seus efeitos
e texturas, contrastes e
aspecto matérico-tacteo.
Sua pintura em si constitui-
se uma assinatura sua,
por características muito
pessoais, não se pode associar
a pintura de Diego
Cardoso com a obra plástica
de outros pintores,
ela é singular e forte em
traço e cor.
O artista plástico Diego
Cardoso tem se tornado
um mestre do contraste
tonal, apesar de tudo sua
obra carrega em si traços
de uma arte social, com
certo teor de denúncia. Sua
obra pictórica traz força e
leveza, amor e dor, luz e
sombras, sua pintura tem
grande valor.

Ed Carlos Alves de Santana
Artista Plástico e Mestre em
Artes Visuais pela EBA-UFBA

Este slideshow necessita de JavaScript.

A exposição Permanente do Parque São Bartolomeu

COLUNISTAS
 Aldo Trípodi

 aldotripodi69@hotmail.com
A exposição Permanente do Parque São Bartolomeu
28 de Abril de 2015 11:36O que me comove nesta obra na obra de Diego Cardoso ”O Testemunho de São Bartolomeu” é a forma expressionista que impõem buscando ao observador se integrar obra buscando segundo a sua maneira interpretar o que foi dito sobre santo, a imagem comove, o artista alcançou o seu êxito. Segundo ele: ela foi criada para ser oferecia ao Parque São Bartolomeu, mediante uma conversa com a coordenadora no período, Edmilia Barros, que me contaminou com sua excitação com o Parque de São Bartolomeu que estava próximo a ser entregue a população de Salvador, ou melhor, ao da Bahia.“A pesquisar sobre o Santo e Historia do Parque (Luta pela independência e os quilombos que lá existiram) Pensei na criação da imagem do Santo que teve como testemunho sua carne e sua pele como palavra de sacrifício, assim como homens e mulheres que sacrificaram suas vidas por um ideal de liberdade. Característica da obra: “O testemunho de São Bartolomeu” em Acrílico sobre tela”.

“Sabendo da abertura do Parque e entregando a tela aos cuidados da nova coordenadora em exercício Sueide Kintê, me ofereci como voluntário para cuidar da parte reservada para uma exposição sobre o tema da exposição, após apresentar a minha sugestão de iniciarmos, já com obras de artistas reconhecidos (O que ela adorou e apresentou aos seus superiores). Com aprovação do projeto dei inicio a captação das obras para acervo do Parque com os seguintes critérios e nomes abaixo:

Para a exposição foram adotados os seguintes critérios, Critérios da Seleção dos Artistas: Produção acentuada. 2- Identidade com a Cultura do Estado. – Reconhecimento público e institucional (Obras em acervo de empresas ou museus e com circulação comercial). Criação de contendo de pesquisa por parte dos artistas (Exposições / Vídeos Revistas / Jornais / Blog / Catálogos e obras Figurativas.

Compõem a exposição Permanente do Parque São Bartolomeu na Cidade do Salvador – BA. Com as obras de: Leonel Rocha Mattos / Tereza Souza / Raimundo Santos Bi da / Antonio Carlos Rebouças / Lilian Morais / Diego J.Cardoso / Inda Brandão / Salomão Zalcbergas Carlos Kahan / Jacira Santos / Isa Oliveira. Diego manda um recado, Muito Obrigado por acreditarem no Parque e em me ao cederem suas obras para o coletivo. Outras fotos de Diego podem ser conferidas no https://www.facebook.com/media/set/?set=a.458656117609367.1073741850.335898373218476&type=3. Ele ainda fala, “Gosto de pensar que ajudei um pouco com a cultura da minha cidade e com a descentralização dos núcleos de cultura.” Diego J. Cardoso é Artista Plástico (UFBA) e tem curso de Gestão Cultural (SENAC – BA).

Fonte:    Tribuna da  Bahia            e               http://noticiacapital.com.br/colunistas1.asp?id=18606

ARTE E MODA SALVADOR SHOPPING – 2016

Circuito de Arte e Moda no Salvador Shopping   2016.jpg

IMG_20160322_202313.jpg

Art_04-14-09.32.49

Fonte: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10208011882969159&set=a.10203376622930555.1073741831.1661004866&type=3&theater

Testemunho de São Bartolomeu _Artes Visuais

Tribuna da Bahia
( Colunista Aldo Tripodi )

Testemunho no Tribuna da Bahiacritica d obra20150429_064541Site Noticia da Capital
( Colunista Aldo Tripodi )

noticia da capital

O  tesremunho de São Bartolomeu Obra de Diego J Cardoso 2014

obras

Floder2014

floder ap

Um Jovem Artista

UM JOVEM ARTISTA

Ele vem despontando como a mais nova promessa nas artes plásticas em Salvador. Está se mostrando no mercado artístico local como um artista de “mão cheia”. Bem articulado no meio artístico, por dentro de tudo que acontece no mundo das artes, Diego de Jesus Cardoso ou Diego J. Cardoso é como assina seus trabalhos, é desses artistas inquietos, curioso, estudioso e fissurado em tecnologia. Acompanha com entusiasmo todas as mudanças tecnológicas. Além de ser antenado com todos os acontecimentos políticos, sociais e econômicos do “Novo Mundo”.

Soteropolitano, de 27 anos, Diego é cheio de plano e ideias para seu futuro como artista. É um jovem como todos os outros, com suas angústias, desejos e anseios, comuns à sua idade, porém se difere da maioria por ser comprometido  e fiel à sua busca. É atuante, engajado e preocupado com o futuro da classe artística da Bahia. A qual ele acha carente no que diz respeito a incentivo, políticas públicas e patrocínios aos eventos culturais.

Esse artista que pinta desde criança, e se deslumbrava com os designers de objetos e era impressionado com a capacidade que tinham os artistas de criar tantos desenhos que emocionava pela beleza, técnica e grandiosidade. Quando pequeno, seu pai trabalhava na antiga loja ANORMA e o levava para passar o dia com ele. Lá, tomara gosto pelos objetos com formas e designers diferentes.

Era expectador assíduo do programa de televisão Mão Livre, exibido pela TV Cultura, que aguçou sua curiosidade e o desejo de desenhar. Através de um programa de televisão ingressa no curso de desenho e pintura do artista plástico argentino Hector Valdez, onde além da pintura e desenhos, também experimentou os desenhos de histórias em quadrinhos. Aliás, se declara fã de HQS por ser de um estilo dinâmico.

Ainda como estudante do antigo ensino médio, Diego participa da Olimpíada Baiana da Primavera, realizada pelo Governo do Estado, na qual os alunos mostravam seus dons artísticos. Ficando em terceiro lugar e no ano seguinte conquistando o primeiro lugar.

Desde então, Diego se envereda por um caminho que não podia ser diferente ao das artes. Em 2004, ingressa-se na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia para cursar Artes Visuais. A partir daí, tornou-se um artista atuante e presente em uma série de exposições coletivas e de diversos eventos ligados à arte; foi criador de grupos virtuais que difundem e discutem cultura de modo geral. Em 2010 foi convidado a participar do Fórum de Artes e Mercado Tecnológico, cujo objetivo é a discussão da importância de trabalhar a Arte em redes virtuais. Atualmente cursa Gestão Cultural pelo Senac.

Diego é um artista primoroso. Traz uma arte honesta, sem truques, nem conceitos. Sua obra é tratada com esmero e fidelidade ao seu estilo. Com contornos perfeitos demonstra sua habilidade e segurança ao manejar suas pinceladas fortes, mas com delicadeza artística impressionante. Retratando desenhos figurativos, tem um jeito muito peculiar de pintar, sua obra revela um mundo encantador tanto nas cenas que retratam o cotidiano, quanto nas que retratam o mundo de fantasia. Com cores em sua maioria em tons pastéis e técnica com tinta acrílica, ele sempre impressiona com sua habilidade e firmeza. Desde os espatulados, com excesso de tinta às pinceladas mais delicadas.

Sua obra não é concebida pelo acaso, sempre traz um sentimento que leva a alguma reflexão, seja ela das mazelas sociais, religiosas, luta pela justiça ou do sofrimento do homem que tira seu sustento da terra.

Mesmo sem a intenção de provocar esse sentimento e reflexão, as obras de Diego sempre levam ao espectador esse despertar.

 

 

Railda Lemos Sampaio

Museóloga

 2012

Colunas opressivas

A Arte de Diego J Cardoso

A Arte de Diego  J Cardoso

Um artista plástico como sede de experimentação, sua inquietude o leva a busca de sua poética visual.
Em seus processos artísticos ele se vale dos recursos plástico da pintura a óleo sobre tela onde imprime sua visão pessoal da realidade.
Seu trabalho absorve influencias da arte do quadrinho, da ilustração, da publicidade, que, aliás, tem se mostrado um excelente designer de mãos cheias ao realizar vários cartazes para exposições de artes plásticas.
Sua obra demonstra no aspecto formal variações muito pessoais,seja em sua série de meninos de rua, ou corpo e cidade, com figuras expressivas que capta a interna variação visual de seu olhar.
Este artista está sempre investigando através de leituras sobre as mais diversas técnicas artísticas em sua busca expressiva pelo melhor recurso para plasmar sua obra, seja o pastel seco , o acrílico, o guache, o grafite, o lápis de cor, o nanquim, a aquarela, tudo lhe atrai.
Com uma linguagem muito pessoal sem seguir preceitos formais pré-estabelecidos que não o próprio ele visa encontrar seu lugar na arte.
Sua obra suscita possibilidades plásticas conferindo-lhe uma necessidade de repensar a sua produção e inserção na contemporaneidade.
Diego configura suas realidades por meio de metáforas plásticas, criando um mundo interior exteriorizando-o em ricas sensações cromáticas indo de encontro com um ideal estético que melhor se adeque ao seu subjetivismo.
Seu trabalho plástico está em constante evolução, sempre mudando, acredito que para melhor.

 

Ed Carlos Alves
Artista Plástico – 2009